[ editar artigo]

SER INCAPAZ NÃO É MAIS POSSÍVEL

SER INCAPAZ NÃO É MAIS POSSÍVEL

 

Estamos provocando uma sucessão de acontecimentos afastando totalmente a humanidade daqueles períodos da história com pouco ou até mesmo, nenhum acesso a algumas variadas camadas de informações que resultam em conhecimento. Classifico como camadas porquê em determinadas áreas como a produção científica, há uma evidente separação dos conteúdos facilmente entendidos dentre outros mantendo-se ora sem compreensão devido complexidade à maioria leiga, ora ocultos em função do segredo industrial na fase de desenvolvimento ou patente.

Mesmo assim, a ciência vem sendo cada vez mais explorada tanto pelos profissionais que não se dedicavam anteriormente à pesquisa, quanto aqueles entusiastas com formação em outras especialidades. Ambos devem, querem e podem agregar continuamente conhecimentos adicionais para facilitar seu trabalho independente da área de atuação. Estão contemplados também na minha visão, aqueles conhecimentos que eram de certa forma controlados, obedecendo alguma ordem ou até às vezes, nunca acessados simplesmente por limitações dos meios de comunicação antigos, região geográfica, barreira do idioma, cultura, religião, condição econômica, organização social e política, etc.

Quando iniciamos nossa saga experimentando ferramentas ou plataformas que agilizam interações complementares ao contato até então limitado somente à presença física, processo apoiado principalmente pelo desenvolvimento de todas as novas tecnologias, testando nossa conectividade com informações ou quem quer que seja (no planeta ou até fora dele), através do ambiente digital, utilizando as ferramentas disponíveis e linguagem corretas, convertidas em dados, foi finalmente possível acessarmos qualquer novo grupo de interesse, conteúdo ilustrativo, introdutório ou até mesmo aquelas informações efetivamente mais completas, didáticas e até proibidas¹.

Conquistamos a permissão segundo nossa consciência na escolha dos temas de acordo todos os nossos mais variados interesses, necessidades pessoais, profissionais ou apenas curiosidades (exceção aos países onde ainda haja algum tipo de controle ou até censura formal modulando toda essa busca). Essa evolução gerou também ao ambiente corporativo a possibilidade da melhoria contínua afim da criação de novos negócios, desenvolvimento de novos modelos de produção e comércio, planejamentos com maior excelência, diminuição dos prazos de execução, otimização dos investimentos, controle de documentos e principalmente, compartilhamento de diretrizes ou tarefas entre equipes para execução de inúmeras ações multidisciplinares ao mesmo tempo.

Estamos vivendo juntos um dos períodos com maior número de descobertas, iniciadas a partir de algum processo que transforme-se diretamente em resultados conclusivos e úteis, gerando finalmente a extinção da incapacidade. E dessa vez para nossa sorte, o salto gigantesco na direção da nossa mais nova evolução, será absolutamente diferente de todos os outros dados pela humanidade desde o início da era moderna. A grande maioria dos conectados na internet participa do processo mesmo que indiretamente, gerando conteúdo a ser analisado, acelerando com alguma proporção e intensidade por mínima que seja, o desenvolvimento de tudo e de todos aqui no planeta.


 

O QUE MUDOU?

A consequência dessa condição de comunicação e pesquisa mecanizada 24h, partindo de qualquer lugar do planeta (ou até fora dele como no caso dos profissionais e militares em órbita), por qualquer um que tenha acesso à rede de internet, proporciona formação de massa crítica robusta e de alta escala para alavancar qualquer tipo de compreensão por mais complexo ou desconexo que um pensamento seja.

Diante dessa procura por uma simples inspiração ou desejo, buscando a criação de algo novo, entretenimento, só compras, um encontro, a localização de algo ou alguém, pesquisa de novas perspectivas, investigação de tendências e cenários, explanação de um pensamento ou qualquer coisa advinda da imaginação, todos nós (habitantes do planeta Terra), nos deparamos com a exigência cada vez maior de uma mínima organização, reflexão e até honestidade relativa à nossa participação nesse processo de gerar alguma reação resultando das nossas ações ao buscarmos conteúdo. Esse processo inicia-se desde a coleta, absorção, entendimento até o tratamento pessoal sobre como será utilizado, seja para benefício próprio ou através do compartilhamento.

O que transita diariamente pelo seu smartphone é uma fração diminuta e aparentemente insignificante em volume de informações, comparado ao que há disponível no universo digital a ser explorado. Há lá fora um volume aparentemente infinito de novas informações disponíveis, nesse exato momento em franco crescimento, amontoando-se em um mundo paralelo, formando um novo ecossistema do conhecimento.

Sendo assim, nos tempos atuais ficou iminente nossa necessidade da profunda atenção e cuidado frente a uma quantidade insana de novos pensamentos e percepções gerados pela rede de internet, com os mais diversos tipos de estímulos, despejados continuamente enquanto estamos conectados, depositados ao mesmo tempo, dentro do seu, do meu, dos nossos cérebros e, porque não dizer, corações.

Como uma iluminação, esperamos transformar toda a nossa inteligência em algo que seja contributivo, verdadeiro, agregue valor percebido, seja construtivo, nos desafie à reflexão, torne-se provavelmente valorizado e rentável ou no mínimo, prazeroso elevando-nos em seres humanos melhores em todos os aspectos.

Dito isso, adicionado em alguma fase do processo dessa aprendizagem o nosso comportamento humano dentro do sistema, interferindo ou não na curadoria dessas informações úteis tanto para a sociedade, quanto ao mundo corporativo, há uma contrapartida diretamente relacionada a lógica e ao resultado: uma quantidade gigantesca de enganos ou mentiras podem ser gerados em consequência do tratamento pouco sábio, displicente ou ainda intencional.

                     

COMPREENSÃO (BEM ou MAL)

Dessa forma acredito que todo o processo de apuração e exposição de resultados obtidos com dados nos meios digitais (se ainda não o fizeram), devem daqui em diante implementar a execução compartilhada dessa atividade junto aos nossos especialistas (exigência de revisão por superior ou par), com o objetivo de aferir, dar tratamento expurgando o que não é real ou não presta, e preparar assim, corretamente todos os componentes de uma equipe para análise e geração de conteúdos com lisura e imparcialidade.

Qualquer tema pode ser facilmente manipulado ou corrompido se não vigiarmos esse novo sistema do conhecimento. Precisamos contribuir mais para os dispositivos atuais que garantem a qualidade e perpetuação da evolução humana, sem que a mesma provoque sua própria ruína.

A compreensão e acesso aos novos conhecimentos passaram a depender exatamente da forma como essas novas tendências serão apuradas em qualquer estudo de caso e dados. Não basta somente sorte conforme mencionado anteriormente. É mandatório o profundo cuidado no movimento e direção do salto rumo a mais essa evolução, caso contrário todo esse ganho de capacidade, poderá contribuir infelizmente para a desinformação ou quem sabe até, perda definitiva da nossa paz (incluindo a espiritual).

Você prefere caminhar em direção a sua evolução ou risco do seu fim?

¹A deep web é o meio onde são apresentados a maioria dos conteúdos proibidos, porém não destaco nesse artigo por falta de conhecimento e investigação.

ZAHG Academy
Marcel Lopes Boiça .'.
Marcel Lopes Boiça .'. Seguir

Paulistano, casado, pai de menina, graduado em propaganda e marketing pela UAM, pós graduado em gestão empresarial pela FGV, residente em Cuiabá – MT. Entusiasta pela busca constante da inovação e melhoria contínua dos processos mercadológicos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você