[ editar artigo]

Pesquisa Social Intelligence: turismo

Pesquisa Social Intelligence: turismo

Caso fosse feita uma lista de coisas boas para fazer e relaxar, com toda certeza, viajar estaria no topo delas. Pensar em largar um pouco a rotina, boiar em uma piscina, fazer trilhas, não se preocupar com a arrumação de casa ou com a preparação das refeições (não sei vocês, mas só com esse primeiro parágrafo já deu vontade de viajar de novo). Contudo, durante os últimos dois anos, viajar tem sido bastante complicado, com a pandemia, o medo de uma possível infecção, foi um grande complicador para muitos turistas. 

 


Diante disso, pensei em entender melhor esse comportamento nas redes sociais através de um breve monitoramento. Mas o que pesquisar, afinal?! As questões relacionadas a esse tema são muitas e foi preciso pensar exatamente nas perguntas que gostaria de responder. Primeiramente, então, o meu objetivo foi entender se existiam manifestações pelo desejo de viajar, a relação dessa vontade no contexto da pandemia e os destinos mais citados.



Enfim, a pesquisa 


A metodologia definida foi a de realizar a pesquisa em redes sociais (Facebook/Twitter) e fóruns de discussão de novembro de 2021 a fevereiro de 2022. Nesses canais, as conversas que corresponderam às queries com expressões sobre o desejo de viajar e a pandemia/vacinação contra o Covid foram capturadas. Além disso, as interações que citaram Salvador, Recife e Fortaleza  como destino - as principais capitais do Nordeste para o turismo - também foram coletadas.

Sendo assim,  será que o contexto de pandemia ainda impacta nas decisões? Esse é o único motivo? Como a aguardada vacinação da população afetou essas conversas?

Agora, vamos analisar esse cenário juntos!


1) Dados gerais: um olhar panorâmico

Considerando o período da pesquisa nos meses mais quentes do ano, obtivemos um volume de conversas tímido, menos de mil menções. Bom, talvez viajar não tenha sido uma prioridade da maioria dos internautas no verão. O Twitter foi a rede com o maior volume de conversas espontâneas. No Facebook, foi mais comum observar comentários relacionados a posts de notícias sobre o tema.


2) Papo de verão: quando as conversas foram mais intensas

As conversas tiveram maior força no final do ano até a primeira quinzena de janeiro. Após esse período, a tendência foi de queda. Nesse cenário, a 1ª quinzena de fevereiro correspondeu somente a 7%, enquanto o mesmo período de janeiro correspondeu a 23%. Movimentos de retweets também trouxeram impacto, com destaque para o pico destacado em janeiro.



3) A vacina como parâmetro


Os termos associados à pandemia apareceram em 84% das conversas na pesquisa, sinalizando que esse ainda é um fator de grande impacto na tomada de decisão para as viagens. Os destaques são para os termos vacina e covid

 

4) O que a geração z tem a dizer?


Quem demonstrou se sentir mais afetado foi a geração Z. No auge dos 20 anos, viajar se tornou um grande desafio. O período de lockdown, os protocolos de segurança de distanciamento social e o uso de máscara esfriaram as programações de viagem desse grupo. Viajar para a praia, para curtir festas de final de ano já não são mais a primeira opção deste público. 

 

5) E se não existisse pandemia?

Bem, junto com a pandemia, a recessão financeira também teve destaque. Durante o período, observamos internautas relatando a falta de dinheiro para realizar viagens, ainda que existisse a vontade.


 

6) Salvador, meu amor!

Salvador é o melhor destino e eu posso provar! (Atenção: essa afirmativa foi escrita por uma Soteropolitana raiz).

Em nossa pesquisa, também buscamos compreender qual destino do Nordeste foi o mais citado. Nesse rol, entre as cidades citadas na pesquisa, Salvador obteve destaque, 36%. É interessante salientar que o Carnaval neste ano foi cancelado e, ainda assim, as conversas associadas à capital baiana, 54%, apareceram junto ao termo carnaval.


 

A retomada no setor de viagens é lenta, mas existe. O cenário da pandemia ainda caminha de mãos dadas com esse assunto, mas a chegada da vacina para grande parte da população trouxe um ar de esperança. O cartão de vacina e o cartão de embarque para o próximo destino agora são uma coisa só. 

Para a geração Z, que se sentiu bastante afetada, podemos voltar um pouco no tempo e usar a frase da música Tempo Perdido de Cazuza:
 

Todos os dias quando acordo
Não tenho mais
O tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo

Tempo Perdido - Cazuza

Afinal, ninguém esperava uma pandemia, mas somos tão jovens!

Com relação à cidade mais citada da pesquisa e sua relação com o Carnaval, em breve, teremos um estudo sobre o tema.

Por fim, se você tem interesse em compreender mais sobre o mercado do turismo e até mesmo a relação com o cenário de pandemia, temos outros estudos incríveis. A propósito, este foi realizado pelo setor de Inteligência de Mercado e cuidadosamente dirigidos por Elaine Venga.

Para conferir os materiais, acesse aqui:
Ebook turismo no nordeste
Turismo e Coronavírus: O impacto no setor

E até a próxima análise! =)

 

ZAHG Academy
Gabriela Melo
Gabriela Melo Seguir

Filha da era digital, sem filtro para aprender, apaixonada por conversas simples, profundas e risadas! Ps. Em um crush eterno com o mundo.

Ler conteúdo completo
Indicados para você